Hepatologia

O fígado é um órgão com múltiplas funções no nosso organismo, desde a destoxificação (eliminação de substâncias tóxicas ingeridas ou produzidas) à produção de proteínas e outros compostos e produção de energia.

O espectro da doença hepática é muito vasto, desde a ausência de sintomas até à falência hepática.

As causas de doença hepática são múltiplas, desde causas víricas/ infecciosas, alcoólica, imunológicas, metabólicas, vasculares, etc.

A evolução de uma doença crónica do fígado pode culminar na cirrose e suas complicações, como ascite (líquido intra-abdominal), encefalopatia hepática (confusão mental), hemorragia digestiva hipertensiva, cancro primário do fígado, etc.

O fígado gordo conta com uma prevalência na Europa de aproximadamente 25% e, em Portugal com estimativas que se assemelham. Trata-se de uma entidade à qual é atribuída cada vez mais importância, não só pela elevada prevalência (pese ser claramente subdiagnosticada) e potenciais complicações como, também, pela sua associação com a síndrome metabólica, obesidade e diabetes.

A prevenção e o reconhecimento precoce da doença hepática permitem implementar estratégias de tratamento e de rastreios específicos, que visam aumentar a esperança e qualidade de vida aos doentes.

Corpo Clínico Associado: